Circulação de carros autónomos já é legal

Patrícia Pereira
Patrícia Pereira
Editora Social Media

O Michigan, nos Estados Unidos da América, fez história ao tornar-se no primeiro estado norte-americano a legislar testes, utilização e a eventual venda de carros autónomos.

A legislação permite a realização de testes a carros autonomamente conduzidos, sem presença humana no banco da frente, sem volante e sem pedal de travão. A lei torna ainda possível a utilização de veículos autónomos por empresas de serviços de transporte de passageiros. Uma vez testada e certificada toda a tecnologia, os carros autónomos passam agora a poder ser vendidos ao público.

Grandes grupos como a General Motors, a Ford, a Fiat Chrysler, Toyota, Uber, Google e a Lyft contribuíram neste processo. Na verdade, há algum tempo que a Coligação de Autónomos para Ruas Seguras, entidade integrada por empresas como a Google e a Ford, tenta fazer aprovar um conjunto de leis para testes e utilização destes veículos a nível nacional. Ainda assim, este é um momento marcante.

Mcity, cidade de testes de mobilidade

Em dezembro do ano passado, a entidade californiana correspondente à Direcção Geral de Viação, publicou um conjunto de regras que permitia o trânsito de veículos autónomos em estrada desde que o condutor estivesse atrás do volante.

Mais tarde, a pressão da Google levou a alterações que permitiam que o veículo circulasse sozinho em situações específicas. Mas enquanto o estado da California continua a rever as leis aplicadas, o Michigan assume-se como estado pioneiro e está a desenvolver o Centro Americano para a Mobilidade que vai compreender uma área de testes e pesquisa para veículos autónomos.

Esta infra-estrutura, a par da Mcity, uma cidade que recria o ambiente e situações reais para testar estes carros, coloca aquele que é um dos estados mais industrializados e também o maior produtor de automóveis dos EUA, na vanguarda do futuro que, na verdade, está mesmo ao virar da esquina.