Africa Race: Elisabete Jacinto em terceiro lugar

Elisabete Jacinto terminou hoje a primeira etapa do Africa Race 2017 no terceiro lugar da categoria reservada aos camiões.

A piloto portuguesa conseguiu ultrapassar com sucesso o curto sector seletivo de 86 quilómetros cronometrados, disputados e entre Ameziane e dar Mimoun, demorando 1h14m50s a cumprir o percurso. A equipa Bio-Ritmo começou de forma muito positiva esta nona edição do Africa Eco Race e conta com uma curta diferença de 8m11s para o primeiro classificado da categoria T4 o russo da equipa Kamaz Andrey Karginov, que neste momento lidera entre os camiões e ocupa a quarta posição na tabela conjunta auto/camião.

A jornada não foi simples, uma vez que grande parte do traçado era composto por caminhos estreitos e sinuosos, e acabou por ser um primeiro dia bastante exigente “a especial de hoje foi curta, mas nem por isso foi fácil. O percurso era estreito, cheio de valas, buracos e muros. Este é um dia que serve para nos adaptarmos e sintonizarmos com a corrida e acabou por ser uma especial um pouco intimidante devido às surpresas constantes que fomos apanhando pelo caminho. Mas, de uma forma geral, correu tudo bem. Andamos algum tempo no pó do Tomecek, mas não tivemos nenhum problema a registar”, contou Elisabete Jacinto.

Cumpre-se amanhã a segunda etapa do Africa Race 2017. A especial será composta por 370 quilómetros cronometrados e vai contar com os primeiros cordões de dunas desta nona edição da grande maratona africana. A travessia do Erg Chebbi, apesar de comum, é sempre um grande desafio para os concorrentes. Depois de ultrapassadas as dunas o percurso segue por um troço rápido que logo dará lugar a uma típica pista marroquina com muita pedra e areia. Antes de atingirem o bivouac, que está localizado perto de Tangounite, os pilotos terão que enfrentar um último desafio: a travessia do Oued Draa.

José Luis Abreu/Autosport