Dakar 2017: O contingente luso

Já lá vai o tempo de grande participações lusas no Dakar, e embora nesta edição tenhamos uma boa participação nas motos, nos autos, pela primeira vez em muito tempo não há nenhum piloto na categoria dos automóveis.

A representação lusa está, no entanto, garantida por intermédio dos navegadores Filipe Palmeiro e Paulo Fiúza, o primeiro ao lado do chileno Boris Garafulic, no MINI All4 Racing nº 314, e o segundo a bordo do MINI nº 325 conduzido pelo alemão Stephan Schott. Já nos camiões, José Martins fará companhia a Thomas Robineau e Dave Berghams no Iveco nº 529, enquanto Armando Loureiro foi escolhido para secundar Georges Ginesta e Christophe Allot no MAN nº 544.

Quatro navegadores no mundo das quatro rodas, embora em cada uma destas duas categorias seja difícil apontar à vitória – algo que não sucede nas motos. Aqui, Paulo Gonçalves (Honda nº 17) e Hélder Rodrigues (Yamaha nº 5) – os mais sérios candidatos a trazerem para ‘casa’ o tão ambicionado primeiro triunfo à geral – encabeçam a lista de 11 representantes lusitanos. Com ambições mais modestas seguem-se Joaquim Rodrigues (Hero nº27), Mário Patrão (KTM nº28), que volta a tentar vencer na categoria Maratona, Gonçalo Reis (KTM nº 64), Luís Portela de Morais (KTM nº 104), David Megre (KTM nº 114), Fernando Sousa Jr. (KTM nº 131), Rui Oliveira (Yamaha nº 151) e Fausto Mota (Yamaha nº 152) e á última da hora confirmou-se a presença de Pedro Bianchi Prata CRF 450 Rally (Honda nº 75).

Se nos autos salientamos a ausência de Carlos Sousa/Miguel Ramalho, nas motos é de destacar a ausência de Ruben Faria, cuja última lesão acabou por forçá-lo a colocar um ponto final na carreira. O piloto irá, contudo, deslocar-se à América do Sul e acompanhar todos os detalhes do Dakar deste ano, depois de ter sido promovido a novo diretor desportivo da Husqvarna. No especial Dakar que publicámos, pode ler uma extensa entrevista com o, agora, diretor desportivo…

José Luis Abreu / Autosport