Sébastien Loeb: “Espero que a experiência nos permita ser mais competitivos”

Sébastien Loeb realiza este ano a sua segunda tentativa no Dakar e depois do muito que aprendeu o ano passado, devido à sua rapidez, não há como não o considerar um dos favoritos a vencer a prova. O ano passado, tudo era novo para Loeb e Elena, mas já não vai ser assim este ano e tudo vai depender muito do tipo de percurso o francês ser mais, ou menos favorito.

Segundo se sabe, a dureza é este ano maior e isso pode beneficiar novamente os pilotos mais experientes, nomeadamente Stéphane Peterhansel, mas que o nível vai ser muito alto e não só do lado da Peugeot, ninguém duvida: “Trabalhámos muito em 2016, especialmente no Rali Rota da Seda, que nos deu grande experiência Espero que seja suficiente para sermos competitivos, tanto nas especiais tipo WRC como nas fora de estrada” começou por dizer Loeb que explicou um pouco as diferenças entre o 2008 DKR e o novo 3008 DKR: “Basicamente é melhor em todas as áreas! Trabalhámos muito no motor e na suspensão também na eletrónica do carro, de modo a suplantar pequenos problemas que fomos tendo, o motor melhor mas vamos ser um pouco penalizados pelos regulamentos. Dito isto, vamos ter ‘muito’ curso de suspensão para o terreno pior. Estou relaxado, mas sei que a prova tem duas semanas e vai haver muita surpresas pelo caminho”.

O único que pode bater Peterhansel?

De qualquer forma o francês não se coloca de lado quanto ao favoritismo, pois sabe que a pilotar um 3008 DKR, tem que apontar para a vitória: “A ambição de vencer está lá, o ano passado foi de descoberta e agora as expetativas são maiores, mas não vou mudar a minha maneira de fazer as coisas e por isso vamos continuar a dar bem os passos, tal como fizemos no ano passado, mas agora com um pouco mais de experiência acumulada, portanto espero que seja melhor. Reparem, o ano passado não tinha ideia nenhuma do que ia apanhar, mas este ano já não será assim! Portanto, a fasquia está mais alta. Seria pretensioso dizer que vou ganhar, mas espero que a experiência nos permita ser mais competitivos nos diferentes tipos de terreno. Acredito que seremos capazes de lutar pela vitória, mas não nos podemos esquecer que temos apenas um ano de experiência, não vinte, e o Dakar é um rali sempre muito complicado, cheio de incógnitas. É muito difícil fazer um prognóstico” disse Loeb que é claramente, entre a maioria dos observadores o piloto no seio da Peugeot com mais condições de bater Peterhansel: “Há muitos pilotos capazes de lutar pela vitória, os meus companheiros de equipa, o Nasser (Al-Attiyah) a Toyota, Mini. Não sabemos muito bem como estão, mas nós, vamos fazer o nosso trabalho. Contudo, reforço que nós não temos muita experiência” disse o piloto da Peugeot, que depois de muito sucesso em tudo o que fez antes de chegar ao TT, agora procura também o sucesso no Dakar.

José Luis Abreu/Autosport