Leilão da RM Sotheby’s factura mais de 25 milhões de euros

Esta foi a quarta venda que a RM Sotheby’s realizou como leiloeira oficial do Concurso d’Eleganza Villa d’Este, prestigiado evento que avalia os melhores e mais bem preservados ou restaurados veículos históricos do mundo.

Este ano a oferta era muito variada, com preciosidades dos anos 30, o auge dos especialistas franceses de carroçarias, mas também com super desportivos recentes, como os Ferrari LaFerrari, Enzo e 612 TdF, os Porsche 918 e 911 R e um McLaren P1 GTR. Curiosamente, nenhum destes últimos foi vendido, com excepção dos dois Porsche, que alcançaram, respectivamente, 1 456 000 e 358 000 euros.

Já outro Porsche, um pouco mais antigo, atingiu um valor astronómico. Tratou-se do Porsche 911 Carrera RSR de 1993, um de 51 exemplares produzidos. Este exemplar tem a particularidade de ter percorrido apenas 10 quilómetros, pelo que está totalmente original. Foi vendido pelo impressionante valor de 2 016 000 euros.

O valor mais alto foi alcançado pelo Talbot-Lago T150-C SS de 1937, com uma espectacular carroçaria Figoni Falaschi apelidada de “Goutte d’Eau”. A licitação vencedora foi de 3 360 000 euros.

Do mesmo ano, um Bugatti Type 57 Atalante Prototype obteve um valor superior aos três milhões de euros. Este exemplar tem uma história incrível, tendo uma carroçaria feita na Bugatti. Foi entregue ao piloto de testes Meo Constantini e tem apenas 26 000 quilómetros. Agora bateu o recorde de valor para um Type 57 de chassis normal (não S, ou Surbaissée)

Entre os outros modelos que atingiram valores de referência estão três Ferrari: 275 GTS (1 792 000 €), um 250 GT Lusso (1 428 000 €) e um F40 (1 064 000 €), um Maserati 3500 GT Spyder (840 000 €) e um Lamborghini Countach LP400 “Periscopio” (817 600 €).

Destaque ainda para o valor obtido por um Jaguar E 3.8 com história nacional, que saiu por 582 400 €, que é objecto de um artigo específico no Jornal dos Clássicos.

Nem todos os lotes foram bem sucedidos. Para além dos já referidos super desportivos mais modernos, houve vários outros, a começar pelo Mercedes-Benz 680 S Torpedo-Sport Saoutchik de 1928, cujo valor estava estimado entre 6,5 e 8 milhões de euros, não foi vendido. O mesmo acontecendo a um BMW 507, um Dino 206 GT, um Porsche 959 e um Audi Sport quattro, entre outros.

Ainda assim, com um resultado global que superou os 25 milhões de euros e com oito lotes a superar o milhão de euros, há motivos para a leiloeira estar bastante satisfeita. O mercado dos bons automóveis históricos continua muito saudável.

Os valores referidos incluem todas as comissões e taxas.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.