Volkswagen é o novo líder do mercado automóvel mundial

O grupo germânico ultrapassou os seus rivais da Toyota.

Após quatro anos na liderança do mercado automóvel mundial, entre 2012 e 2015, a Toyota perdeu em 2016 o primeiro lugar nas vendas a nível planetário para os seus rivais do Grupo Volkswagen, embora por uma margem mínima. O conglomerado germânico (que detém doze marcas de ligeiros e pesados, entre as quais a VW, Audi, Porsche, Skoda, Seat, Lamborghini e Bugatti) comercializou 10,3 milhões de automóveis, um aumento de 3,8%, enquanto o Grupo Toyota (com a Lexus, Daihatsu e Hino) apenas cresceu 0,8% para os 10,2 milhões de unidades.

Entre as principais razões para estes registos de vendas estão a quebra das vendas do Toyota Camry no mercado americano e também o ritmo de crescimento de vendas mais lento no mercado chinês. Estas são, aliás, duas regiões fulcrais para a decisão futura do título de líder do mercado mundial. No caso dos Estados Unidos, a possível introdução de restrições às vendas de viaturas fabricadas no estrangeiro pode impactar mais fortemente a Toyota, que tem aqui um dos seus principais mercados. A diminuição do crescimento das vendas na China, por sua vez, poderá ter maior influência na performance comercial do Grupo Volkswagen.

As mudanças da liderança do mercado automóvel mundial nos últimos anos têm sido bastante interessantes. Foi em 2008 que o Grupo Toyota colocou fim a 77 anos de reinado da GM, mas, após três anos no lugar cimeiro, o tsunami de 2011 teve impacto negativo nas vendas dos nipónicos e levou à perda desse primeiro posto. No entanto, em 2012 a Toyota reassumiu a liderança, que agora perde para a Volkswagen, que assim consegue completar com êxito a estratégia delineada pelo antigo CEO Martin Winterkorn, que tinha colocado como objetivo fazer do grupo germânico o líder do mercado automóvel mundial.