Colisões entre motos e automóveis causam mais danos aos primeiros que aos segundos, e são um dos tipos de acidente menos compreendidos na estrada. Acidentes com os dois tipos de veículos acontecem mesmo em condições de perfeita visibilidade, em que o condutor do automóvel devia ter notado a presença do motociclo. Parece um mistério, mas a ciência já consegue explicar porque isso acontece, e o que vai ser preciso fazer para resolver o problema.

De acordo com um estudo publicado na revista científica Human Factors, da Sociedade de Ergonomia de Fatores Humanos, nos Estados Unidos, a maneira como o cérebro processa informação é a causa para os condutores ignorarem a presença de um motociclista, mesmo quando está diretamente à nossa frente. O fenómeno, chamado cegueira desatenta, nota que, apesar da moto registar no campo de visão do condutor, o cérebro não considera isto informação importante.

No estudo, foram mostradas fotografias com situações de trânsito a várias pessoas, incluindo uma foto manipulada para mostrar uma moto e um táxi, objetos que não estavam lá na foto original. No estudo, 48 por cento dos inquiridos não notaram a presença do objeto intruso, e destes, dois terços ignoraram a moto enquanto um terço ignorou o táxi. A moto é mais pequena, pelo que o cérebro vai despender menos recursos a prestar-lhe atenção. A Sociedade de Ergonomia recomenda que o cérebro dos condutores deve ser treinado para dar mais prioridade à presença de motos na estrada, o que teria de ser feito em aulas de condução.