52.º Vodafone Rali de Portugal: luta aberta pela liderança do CPR

Armindo Araújo, com Luís Ramalho ao lado no Hundai i20 R5, está de regresso ao Vodafone Rali de Portugal

 

O Vodafone Rali de Portugal (17 a 20 de maio), 4.ª prova do Campeonato de Portugal, marca o final da fase de terra da competição e da metade inicial da temporada.

Rali mítico, verdadeiro fenómeno num país que nutre enorme paixão por este tipo de provas, foi durante décadas verdadeiro catalisador dos projetos dos pilotos nacionais. Palco com enorme visibilidade, montra privilegiada, o Rali de Portugal soube manter uma aura de prestígio e de enorme poder de atração junto do público, por mais ventos que soprassem em sentido contrário.

No plano nacional, o campeonato atravessa fase de grande interesse e a prova do ACP surge no momento ideal.

Rali extenso e duro, com 219,54 km ao cronómetro, a prova terminará, em termos de CPR, no final da secção matinal do 3.º dia de prova – sábado –, ou seja, após a classificativa Amarante-1.

A liderança do campeonato continua na posse de Ricardo Moura, vencedor de metade das quatro provas já realizadas, mas o açoriano renunciou a cumprir programa completo e o atual vice-líder, o campeão nacional em título Carlos Vieira, prescindiu de alinhar, tal como o algarvio Ricardo Teodósio.

Com Moura e Vieira de fora, a liderança do Campeonato de Portugal de Ralis pode mudar de mãos. É um cenário mais que provável ao alcance de um quarteto de pilotos.

De recordar que, das nove provas do calendário, os pilotos inscritos no Campeonato de Portugal de Ralis escolhem oito, prescindindo do pior resultado na hora do acerto de contas final.

Estão inscritos 11 R5 nacionais – menos cinco que em Mortágua – com destaque para o regresso, a competir, de Armindo Araújo. O tri vencedor da prova participou, o ano passado, ao volante do carro 0, mas desta feita o objetivo é diferente.

«É um orgulho estar à partida do Vodafone Rali de Portugal», confessou o piloto de Santo Tirso, Moralizado pelo resultado alcançado em Mortágua e, tão importante ou mais, arriscamos dizê-lo, com as melhorias evidenciadas pelo Hyundai i20, Armindo mostra-se realista:

«Estamos numa posição interessante em termos de campeonato e a tática a adotar tem a ver com o objetivo chamado campeonato. Amealhar o maior número de pontos para a nossa guerra e quando terminar, passaremos a lutar pela posição de melhor português à geral e atentar fazer tempos interessantes à geral», adiantou ao MOTOR 24 o piloto do Team Hyundai Portugal,

Estreia mediática

Em tempo de estreia com o Citroën C3 R5 – uma première mundial do carro da marca francesa em piso de terra – José Pedro Fontes, que conta com uma unidade da Citroën Racing, mantém a ambição: «O objetivo é sermos campeões e vamos tentar andar mais depressa que os outros portugueses e não andar a lutar com os outros WRC 2», referiu ao MOTOR 24.

Um ano volvido sobre o grave acidente sofrido nesta prova, Fontes minimiza tal circunstância e sublinha que «é mais um rali. Estou ansioso apenas por guiar o carro novo», acrescentou.

Na luta pelos lugares de topo no âmbito nacional vão estar Pedro Meireles, atual 4.º classificado do campeonato, e Miguel Barbosa, o 6.º, igualmente em Skoda Fabia.

A dupla Miguel Barbosa/Hugo Magalhães (Skoda Fabia R5) vai lutar pelos lugares cimeiros do CPR

 

O vimaranense foi o vencedor, em 2017, em termos de campeonato e vai tentar repetir a proeza, enquanto Miguel Barbosa pode voltar a surpreender, tal como sucedeu no arranque da época, em Fafe.

A denotar franca evolução, Joaquim Alves (Skoda Fabia), 2.º classificado, o ano passado, neste rali, na luta do campeonato, é um out-sider a ter em atenção, pela regularidade que habitualmente demonstra.

Nas 2 RM, Pedro Antunes (Peugeot 208 R) defende liderança e não conta com a oposição direta de Daniel Nunes, em carro idêntico e de Gil Antunes (Renault Clio R3), na prova que marca o arranque da Peugeot Rally Cup Ibérica, competição monomarca que conta com uma dezena de pilotos portugueses inscritos.

No feminino, a dupla bracarense Joana Barbosa/Sofia Mouta vai tentar levar até final o Ford Fiesta R2.

Mais informações em:

http://www.rallydeportugal.pt/homepage.aspx?menuid=1