Gama 4×4 da Skoda à prova na Lapónia: Diversão e segurança de mãos dadas

a carregar vídeo
Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

Existem muitos tipos de feiras populares. Uma das mais espetaculares está em Rovaniemi, na Finlândia, envolta em florestas gélidas, pelo menos para quem gosta de condução. E, no entanto, nem sequer é uma feira popular! Na verdade é um centro de condução no gelo com diversos tipos de percursos e de objetivos que permitem aos condutores colocarem à prova as suas capacidades ao volante.

Foi para avaliar a capacidade e competência da sua gama de modelos com tração integral que a Skoda organizou este Snow Experience 4×4, colocando à disposição dos jornalistas diversas unidades do Karoq, Kodiaq, Octavia (também em versão Scout) e Superb. Todos estes modelos surgiam em diferentes configurações ao nível do motor, mas com a tão importante tração integral que lhes permitiu sair de apuros maiores. Porém, nem todos os Skoda presentes eram 4×4: um tinha apenas tração dianteira e servia meramente como comparador de prestações sem aquele sistema.

Na Finlândia, mas ‘à português’

Se há algo para o qual nunca se está propriamente preparado é para o frio intenso. E na Finlândia, muito concretamente em Rovaniemi, que fica bem no Norte daquele país e é conhecida como a cidade do Pai Natal, o frio é algo que não tem muitos comparativos em Portugal. Daí que levar a roupa ‘aconselhada’ na mala seja bem mais do que levar umas camisolas e um casaco forte. Ou então vista tudo em camadas.

Poder-se-á dizer que embarcámos para a Finlândia um pouco ‘à portuguesa’. Afinal, a temperatura em Portugal naquele momento rondava os 15 graus centígrados, um valor diametralmente oposto aos 23 negativos que apanhámos numa das noites. Por outro lado, os carros são locais privilegiados para se estar – ou no quente das casas, mesmo que por vezes em excesso de calor.

Valeu-nos, ainda, um facto curioso: o dia escolhido pela Skoda para esta ação 4×4 na neve foi o “mais bonito das últimas semanas”, de acordo com os instrutores finlandeses, com o dourado do Sol a emprestar uma beleza muito singular a uma paisagem tintada de branco.

Exercícios ao volante

Porém, no final de cada um dos quatro módulos de condução promovidos ao longo do dia o frio parecia um mal menor, porque os exercícios ao volante (duplo sentido, como se percebe…) permitiam-nos aquecer. Desde logo pela ‘boleia’ de Hans-Joachim Stuck a bordo de uma Octavia RS, um senhor que, não sendo ‘local’, percebe bem dessas coisas da condução. Afinal de contas, este alemão nascido no primeiro dia do ano de 1951 conta no seu currículo com passagens pelo Mundial de Fórmula 1 (na década de 1970, ao longo das quais obteve dois pódios), DTM e Le Mans, para a mítica prova de 24 horas. Aqui, glória máxima: dois triunfos à geral (1986 e 1987) e outro à classe (1996), sempre com a Porsche.

Hans-Joachim Stuck mantém intactas as suas competências ao volante, levando-nos por uma pista de neve com facilidade desconcertante.

Agora, ligado ao Grupo Volkswagen, faz algumas ações com as marcas da companhia, como é o caso da Skoda. Uma das características que saltaram à vista dos momentos de interação com Stuck é a de que o piloto aprecia genuinamente estas ações e este tipo de atividades: estar em pista, partilhar experiências com os jornalistas e mostrar como é que se comportam os modelos em condução mais exigente. Tudo feito com uma naturalidade que é desconcertante, até, para quem vai ao lado.

Houve ainda tempo para idêntica experiência com Ville Mannisenmäki, do campeonato finlandês de ralis, ligado à Skoda Motorsport, participando com um dos novos Fabia R5 e que este ano estará no Campeonato da Ásia-Pacífico ao serviço da marca checa. Mais uma forma de aprendizagem, garante o jovem finlandês, que também atravessa o seu carro de forma tão natural como quem abre a janela do carro.

a carregar vídeo

Seguir um trilho gelado com inclinações e descidas de impor respeito, em que entram em ação as virtudes do controlo de velocidade em descida (Hill Descent Control) em pisos de parca aderência ou ter um longo círculo gelado em que o objetivo é só e apenas ‘dar gás’ para andar em slide com um Skoda Kodiaq e uma carrinha Octavia são outros exercícios interessantes.

Será rali? Condução normal não é certamente…

Os dois melhores exercícios de condução estavam reservados para a tarde. No primeiro, os modelos da Skoda entregues aos jornalistas, entre Octavia e Superb, tinham um percurso ‘justinho’ para fazer em drift. Aqui, há que jogar com a transferência de massas do veículo e acreditar que, mesmo que a curva esteja a 50 metros, o ideal é virar cedo e, como dizia o instrutor, “acelera, acelera, acelera…”. A lógica é desafiada e percebe-se que em condução mais agressiva o sistema de tração integral da Skoda é uma valiosa mais-valia, permitindo que se mantenha um controlo muito concreto do veículo.

Aqui entra também em cena a confiança máxima proporcionada pela tração integral e pelos pneus com pregos, uma particularidade que é essencial nos países nórdicos onde a neve e o gelo fazem parte do quotidiano ao longo de muitas semanas. Confiança é mesmo a palavra-chave, levando-nos a abordar curvas como se o piso não fosse composto de neve e gelo, mas sim de asfalto seco e limpo. Tanta condução e tanto drift trouxeram também algumas noções interessantes: o importante não é ser veloz em tudo, mas sim eficaz e preciso nas trajetórias. Nem sempre é fácil… Comprovámos que os bancos de neve são macios e dão ‘aquele’ toque especial para colocar o carro no sentido mais adequado.

Neste cenário e no de drift na ‘roda gigante’, o ESP em modo desligado é essencial, mas a ‘rede de segurança’ nunca é totalmente desativada. Em caso de deslizamento mesmo muito pronunciado, o ESP liga-se para colocar o veículo na linha mais correta.

O último dos módulos de condução deixou-nos num percurso também muito apto para drift, embora o piso estivesse a ficar já muito deteriorado em virtude das ‘ações’ anteriores levadas a cabos pelos outros grupos de jornalistas. Mas, mais rápido (ligeiramente), foi possível extrair um pouco mais dos Kodiaq e Karoq com o objetivo de avaliar os níveis de motricidade proporcionados pelos modos de condução ‘Normal’ e ‘Neve’. E há diferenças substanciais, mesmo que os tamanhos dos dois SUV também joguem um papel importante: o Karoq, o novo SUV da marca checa que será lançado em Portugal no mês de abril, tem uma compostura quase imperturbável. Em modo de neve, contudo, a entrega da potência é muito modulada, chegando ao piso de forma muito suave para assim garantir a motricidade ótima em cada momento.

Como funciona a tecnologia

A eletrónica tem um papel decisivo no desempenho dos sistemas de tração integral da Skoda. Tendo por base a mais recente geração da embraiagem eletrónica multidisco, uma unidade de controlo calcula de forma contínua a distribuição ideal de binário entre o eixo dianteiro e traseiro. Além de mais simples, o sistema é também mais ligeiro e compacto, permitindo-se ainda a ser integrado de forma completa nos sistemas de assistência eletrónica.

O seu funcionamento é simples: uma série de sensores analisa a velocidade de rotação de cada roda, o ângulo da direção, a aceleração lateral e longitudinal, o pedal do acelerador e a rotação do motor, assim avaliando de forma continuada e com todos estes dados os melhores níveis de tração em cada momento. Em milésimos de segundo, a eletrónica consegue assim alterar a distribuição do binário entre cada roda de forma individual, sendo que, em condições normais apenas o eixo dianteiro é alimentado pelo motor, o que se traduz em consumos mais baixos. Caso seja detetada uma perda de motricidade no eixo traseiro, a embraiagem multidiscos do sistema integral aí posicionada, juntamente com o diferencial traseiro, reage de forma imediata, transmitindo algum do binário para as rodas traseiras, ao mesmo tempo que o Bloqueio de Diferencial Eletrónico (EDL), ativo nos dois eixos dos modelos 4×4, previne quaisquer perdas de motricidade.

Por exemplo, à roda a patinar é-lhe retirada potência e uma maior quantidade de binário é entregue, por outro lado, à roda com melhor tração. O sistema XDS+ funciona como uma extensão do EDL, reagindo quando a carga na roda interior é reduzida em curva, aplicando de forma automática os travões – de forma impercetível – para que a roda patine. Com isso, a marca pretende incrementar a motricidade em curva, melhorando a dinâmica.

Outras características importantes são os modos de condução Off-Road e de Neve. O primeiro altera a grande maioria dos sistemas de assistência à condução, funcionando em velocidades ate aos 30 km/h. Assim, melhora a motricidade nos arranques ou nas descidas mais íngremes, passando a mostrar no ecrã central informações relativas ao modo escolhido, como a bússola ou o ângulo da direção. Já o modo de Neve trabalha no capítulo da motricidade e permite um maior patinagem das rodas pelo sistema ABS na travagem, o que forma uma pequena camada de neve ou gelo na frente do pneu ajudando-o a perder velocidade. De resto, o acelerador reage de forma mais suave para impedir o despejo de binário pelas rodas motrizes e a caixa automática escolhe relações mais altas.

Sem espinhas’

Com a noite já no horizonte e com os exercícios de condução a chegarem ao seu final, alguns apontamentos em jeito de conclusão: apesar dos muitos jornalistas presentes (Portugal, Espanha, Itália e Suécia, entre outros), apenas por uma vez foi precisa a intervenção de um reboque ‘safety car’ que tirou um dos Skoda de um banco de neve.

a carregar vídeo

Uma prova de quão eficaz é uma solução tecnológica que não tem utilidade apenas em pisos gélidos: também aporta consigo mais versatilidade e segurança nas estradas comuns e naquelas que mais comummente são utilizadas pelos condutores em Portugal, como por exemplo nas vias de montanha nacionais que tantas vezes se enchem de neve no inverno num país que não tem por tradição utilizar pneus de inverno.

Além disso, variando cada vez mais as suas carroçarias, a Skoda conta atualmente com 13 variantes distintas de modelos 4×4, correspondendo a quatro das suas sete gamas. Assim, entre Octavia, Octavia Break, Octavia Scout, Octavia RS, Octavia Break RS, Kodiaq, Kodiaq Scout, Kodiaq Sportline, Superb, Superb Break, Superb Break Sportline e Superb Break Sportline, a escolha é mesmo muita, sendo que em abril chega mais um modelo de versatilidade reforçada, o Karoq…