E se a Tesla fizesse carros que precisassem de combustível para trabalhar? Não estamos a falar de gasolina, já que os carros da marca americana marcaram a diferença por serem 100% elétricos, mas existem outras fontes de energia, como o hidrogénio, que pode ser usado em automóveis movidos por células de combustível.

A Tesla não tem qualquer plano para começar a construir carros a hidrogénio, mas isso não impediu uma firma de energias alternativas der modificar um Model S para receber esta tecnologia. A Holthausen Clean Energy, uma empresa holandesa que já tem feito modificações de veículos para trabalhar com células de combustível, é a responsável, e tem como objetivo criar um Tesla que tenha mais de 1000 km de autonomia. Sem apoio da Tesla, foi necessário adquirir um Model S para ser modificado, recebendo o nome Hesla.

O motor elétrico não foi retirado, pelo que passa a ser um modelo híbrido com a instalação das células de combustível. O trabalho de conversão tem dado grandes dores de cabeça a Max Holthausen, o engenheiro responsável, mas ele espera que o Hesla possa circular nas estradas holandesas em breve. A conversão deverá custar cerca de 60 mil euros, de acordo com as estimativas de Holthausen