Tesla Semi: O futuro das transportadoras com autonomia para 800 km

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

Elon Musk fê-lo outra vez! Surpreendeu o mundo inteiro durante o evento de apresentação do seu novo camião, denominado Semi (do inglês semi truck), o qual promete uma autonomia em redor dos 800 quilómetros.

Contudo, se o camião revelado por Musk deixou ‘água na boca’ aos presentes, foi a revelação posterior que elevou a fasquia: uma nova geração de um desportivo, o Roadster que sucede ao modelo com o mesmo nome e que promete prestações capazes de fazer esquecer os tradicionais modelos com motor de combustão.

Em relação ao camião, o Semi, além dos 800 quilómetros de autonomia em condições de autoestrada e com um reboque de 40 toneladas. Em termos de prestações, a Tesla promete capacidade de atingir os 96 km/h em 20 segundos, embora ‘livre’ do reboque faça esse mesmo exercício em apenas cinco segundos.

Pensado para as empresas transportadoras, o Semi conta com quatro motores elétricos independentes, com a potência a ser transmitidas aos eixos posteriores. O sistema Auto Pilot de condução autónoma também irá fazer parte do equipamento deste Semi.

Uma das particularidades de segurança está no facto de estar salvaguardada a hipótese de o reboque fazer uma chicotada em relação à parte dianteira, algo que em inglês é referido como ‘jackknife’, pelo efeito semelhante ao de uma navalha quando é fechada. Tal é garantido por intermédio da distribuição do binário de forma automática para cada roda para impedir esse cenário potencialmente perigoso, por exemplo, em condições meteorológicas adversas.

A companhia promete, ainda, uma fiabilidade elevadíssima para os sistemas elétricos e baterias, garantindo que não terá problemas num milhão de milhas, ou seja, 1.6 milhões de quilómetros, o que quer dizer que os tempos de paragem por motivos mecânicos seriam eliminados. Quanto a carregamentos, a Tesla explica que os transportadores poderão aceder aos novos Megacarregadores, que podem adicionar 650 quilómetros à autonomia em apenas 30 minutos.

Entre os pontos fundamentais de destaque deste camião, Musk apontou o para-brisas com resistência a “explosões termonucleares”, o que se isso não será um problema realista para os camionistas, já o facto de os proteger de pedras ou detritos lançados por outros veículos será bem mais relevante. No interior, o condutor segue em posição central para ter uma visão aperfeiçoada da estrada, sendo ladeado por ecrãs de 15 polegadas que transmitem as imagens captadas por câmaras laterais retrovisoras e, também, dados da navegação.

Este modelo poderá ser fundamental para tornar a área dos transportes muito mais sustentável, uma vez que este é um setor que tem um impacto substancial em termos de emissões poluentes. A sua chegada prevista ao mercado está agendada para 2019.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.