Quando chegarem os automóveis autónomos, é ponto assente que as inteligências artificiais vão ter que ser melhores que os humanos a reagir a perigos na estrada. O objetivo dos construtores é reduzir a quantidade de acidentes e fatalidades. Mas será que a inteligência artificial também consegue andar de moto?

Mais do que isso, será que a inteligência artificial vai ser tão eficaz quando o perigo é um componente natural de percorrer uma distância? Isso é algo que a Yamaha quer experimentar. Desde 2015 que a marca japonesa está a evoluir um Motobot, um robô capaz de conduzir a Yamaha YZF-M1 de MotoGP, a mesma moto do campeão Valentino Rossi.

Agora, a segunda versão do Motobot está quase a chegar, prevendo-se que seja revelado pela Yamaha no próximo Salão de Tóquio. Será que é desta que alguém conseguiu finalmente construir um robô que seja mais rápido que um desportista profissional?