Marcas alemãs poderão enfrentar escassez de matérias primas para eléctricos

A Federação das Indústrias Alemãs (Bundesverband der Deutschen Industrie; BDI) avisou que o objectivo da indústria automóvel alemã em aumentar a produção de veículos eléctricos pode estar em risco devido a insuficiências no fornecimento de matérias primas necessárias para o fabrico de baterias.

“O risco de existência de constrangimentos no fornecimento de matérias primas está a aumentar, pois a procura está a evoluir mais rapidamente que a capacidade produtiva,” afirmou Matthias Wachter, responsável pela divisão de matérias primas da BDI. “Sem um fornecimento adequado de, por exemplo, cobalto, grafite, lítio ou manganês, não haverá qualquer tecnologia futura com a insígnia ‘made in Germany’.”

Espera-se um significativo aumento da procura por estas matérias primas à medida que os construtores de automóveis promovem o desenvolvimento de veículos eléctricos na tentativa de se adaptarem a leis de protecção ambiental cada vez mais exigentes.

A Volkswagen, que espera investir 34 mil milhões de euros no desenvolvimento e produção de veículos eléctricos até 2022, está a tentar garantir contratos de longo prazo com fornecedores para evitar quebras na rede de fornecimento.

A Mercedes-Benz espera disponibilizar uma versão eléctrica de cada um dos seus modelos até 2022. A BMW espera produzir 12 veículos totalmente eléctricos até 2025.

Empresas especializadas em reciclagem, como a belga Umicore, planeiam extrair metais a partir de baterias descartadas com a intenção de aproveitar oportunidades criadas por previsíveis constrangimentos no fluxo de fornecimento de matérias primas.

[Fonte: Automotive News]