Dragsters: 400 Metros de borracha queimada…

Estão 48 graus à sombra no deserto do Mojave, interior da Califórnia. Debaixo do meu pé, encontram-se 3000 cv prontos a arrancar, e à minha frente uma tira de asfalto, que devo percorrer num piscar de olhos. Ao meu lado esquerdo, perfila-se outro piloto com a mesma ideia. As luzes verdes acendem-se. E eu acelero. I´m a drag monster!

As corridas de dragsters têm origem nas congregações de “hot rods” que se faziam no deserto de Mojave no início da década de 30. Estes encontros eram também uma espécie de antepassado distante do tuning, pois os “hot rods” eram baseados em modelos de série, com diversas alterações ao nível da carroçaria, de elementos como suspensões, pneus e travões, e, mais importante dos motores, sempre na procura de velocidade superior. Entre estes entusiastas dos automóveis, encontrava-se um jovem Wally Parks, que depressa ficou apaixonado pelos “hot rods”, tornando-se, em 1937, um dos sócios fundadores do Road Runners Club, organizando mais encontros do género e promovendo os confrontos de arranques que seriam a característica que definiria as competições de dragsters. Em 1950, Parks estaria envolvido na criação de pista de dragsters de Santa Ana, e no ano seguinte, aproveitando a sua posição como editor da revista Hot Rod, criou a National Hot Rod Association (NHRA), estabelecendo os primeiros regulamentos técnicos, desportivos e de segurança para as provas de dragsters. Hoje, com mais de seis décadas de existência, a NHRA é a autoridade máxima da disciplina no continente, sendo responsável pela organização dos campeonatos nacionais e várias competições regionais, bem como pela elaboração dos regulamentos das várias classes em competição nos EUA, e a promoção e divulgação da modalidade e das respetivas provas que a compõem. A NHRA é também a maior agremiação de desportos automóveis nos EUA, com mais de 80.000 membros, 35.000 pilotos e 5.000 eventos disputados anualmente.

Guia do utilizador

As corridas de dragsters são disputadas através de eliminatórias, com dois carros a competirem lado a lado, sendo necessário percorrer os 200 ou 400 metros (os famosos “quarter-milers”) de distância da pista no mínimo de tempo possível. Os competidores são controlados por uma “árvore de natal”, com sete pares de luzes que acendem sucessivamente, indicando quando os pilotos podem arrancar. Devido à curta distância percorrida, a ênfase tecnológica é dada na aceleração rápida e não na velocidade de ponta, com grande parte do trabalho de desenvolvimento a centrar-se no funcionamento do motor no arranque, na transmissão e na aerodinâmica (para impedir o dragster de levantar vôo). Existem 15 categorias de dragsters na NHRA. As quatro principais categorias tomam parte no campeonato nacional, denominado Mello Yello Drag Racing Series. Estas são: Top Fuel Dragsters, Top Fuel Funny Cars, Pro Stock, Pro Stock Bikes. As duas primeiras são disputadas com carros e motores feitos propositadamente para competição, mas os Dragsters (recorde de 3,7 segundos) são ligeiramente mais rápidos que os Funny Cars (recorde de 3,8 segundos), cujas carroçarias semelhantes às de modelos de produção causam mais resistência ao ar, além de serem mais pesados (1055 kg contra 975 kg). Os Pro Stock são baseados em modelos de produção, embora com um nível de preparação bastante liberal, com peso mínimo de 1067 kg. As carroçarias deverão ser de carros com um máximo de cinco anos de idade. Finalmente, as Pro Stock Bikes são também baseadas em modelos de preparação, da qual devem reter a aparência geral e o bloco do motor. A Lucas Oil Racing Drag Series é reservada às duas categorias que, em vez do nitrometano das classes principais, usam o metanol como combustível, Top Alcohol, Dragsters e Top Alcohol Funny Cars. Na primeira, os carros tem motores com cilindradas entre 7,7 e 8,7 litros, com uma fórmula para calcular o peso. Na segunda, o peso mínimo é de 908 kg para uma cilindrada máxima de 9,25 litros. Estes dragsters são geralmente mais lentos que os Top Fuel, demorando entre 4 e 5 segundos para percorrer os 400 metros.

Luta de classes

Mais abaixo, encontram-se seis outras classes, algumas delas com competições nacionais, mas com a grande maioria dos pilotos oriundos de campeonatos regionais e locais. A classe Competition é das mais variadas, com 42 categorias, que variam de acordo com o tipo de veículo, o tipo de motor ou o tipo de preparação, sendo admitidos dragsters menos preparados, “hot rods”, coupés desportivos, sedans, clássicos, turbos e aspirados, carburadores e injeção, 4 cilindros e V8. Para igualar a competição, a NHRA desenvolveu um sistema de handicap, através da aproximação de tempos realizados dentro da respetiva categoria. A Super Stock e a Stock também têm várias categorias, mas aqui são utilizados automóveis baseados em modelos de produção, sendo admitidos sedans e coupés e pick-ups, desde os anos 60 à atualidade. Novamente, um sistema de handicap é utilizado para manter a competição nivelada entre categorias. Finalmente, existem três classes Super: Super Comp, Super Gas e Super Street, aqui com níveis limitados de preparação, mas sem existir restrições quanto ao tipo de carroçaria a utilizar. Aqui os pilotos são geralmente por amadores, entusiastas ou jovens em início de carreira.

José Luis Abreu/Autosport

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.