GP Hungria F1: Jolyon Palmer “queimou cuecas da má sorte”

Jolyon Palmer teve um fim de semana para esquecer em Silverstone, depois de não ter conseguido arrancar para a sua prova caseira, mas na Hungria espera deitar para trás a sua má sorte e chegar finalmente aos pontos: “Gosto muito de Budapeste, traz-me boas memórias de quando venci aqui em 2013 na GP2. A pista é diferente da maioria por ter muitas curvas rápidas. É um circuito muito bem desenhado e flui todo em conjunto e dá uma volta muito excitante”, refere Palmer. “A margem para erros é muito pequena em termos de travagem e não existem muitas zonas para ultrapassar e por isso é ainda mais importante ter um bom ritmo. É muito divertido de pilotar e geralmente existem aqui boas corridas, espero mudar a minha sorte e finalmente chegar aos pontos. Não sou supersticioso, mas já queimei as minhas cuecas da má sorte, não quero correr riscos”, acrescenta o britânico da Renault.

Rodrigo Fernandes