WTCR: Os “nossos rapazes” estiveram muito bem

No fim de semana de WTCR em Vila Real não tivemos Tiago Monteiro em pista, mas tivemos Edgar Florindo e José Rodrigues. Talvez não fossem a primeira escolha de muitos, mas, do que podemos ver este fim de semana, foram a escolha acertada para nos representar.

José Rodrigues com mais 80kg no carro, 20 dos quais apenas pelo facto de ser Wildcard (60 por ser a estreia desta versão do Honda nesta competição) sabia que não teria a vida facilitada. Os efeitos do “pesado passageiro” fizeram-se sentir, com o carro a ficar mais difícil em curva e por conseguinte mais duro com os pneus. Rodrigues não baixou a cabeça e tentou sempre fazer o melhor possível. Na FP2, um ataque mais agressivo a um corretor originou danos no motor (cárter partido) que o obrigaram a perder a qualificação 1. Na primeira corrida do fim de semana evitou males maiores no inferno de chapa batida e regressou à corrida, as a sorte não queria nada com o piloto de Braga e problemas no seu Civic condicionaram a prestação no recomeço.

Na segunda qualificação de domingo, Rodrigues foi para a pista com vontade fazer o melhor possível e conseguiu, um excelente tempo, na casa do minuto 2:03. Tirando 80 Kg de peso imagine-se onde poderia ter ficado o português. Lutou muito nas duas corridas seguintes e acabou a corrida 3 com um furo lento obrigou que acabasse de forma inglória, sem cruzar a reta da meta, como merecia. José Rodrigues tem motivos para ser orgulhar da sua prestação. Os resultados podem não ser de encher o olho, mas o cronómetro não engana… havia andamento para muito mais. Vila Real não foi tão hospitaleira como noutras corridas, mas Rodrigues mostrou o seu valor e provou que é um piloto de top.

Edgar Florindo teve uma prestação espetacular a todos os níveis. O piloto da casa era provavelmente um dos menos experientes em pista, mas não se atemorizou com a forte concorrência e foi à luta com as suas armas e o seu público a apoia-lo. Nos treinos começou a encontrar o melhor ritmo, a melhor afinação e manteve sempre a confiança e otimismo. Na qualificação 1 o primeiro tempo que fez foi com pneus usados e depois a partir daí tentou fazer melhorar o registo com pneus novos, mas a sucessão de bandeiras vermelhas impediu-o de concluir as suas melhores voltas. Numa das voltas anuladas pelas bandeiras vermelhas conseguiria teoricamente o tempo de 2:02, mesmo com um erro no terceiro setor, o que mostra bem do andamento do português. Na derradeira tentativa, a transmissão do piloto cedeu e não lhe permitiu continuar. Saiu de último (devido à quebra de parque fechado para reparações) e foi apanhado no incidente da primeira curva. O seu Cupra teve danos e Florindo saiu magoado no pulso. A equipa reparou tudo a tempo e Florindo foi para a pista com dores, mas ainda assim conseguiu uma excelente prestação, mesmo com o carro completamente desalinhado.

No domingo, as dores no pulso do piloto não diminuíram (pelo contrário), mas a ambição do piloto também não, e na qualificação 2 conseguiu o tempo na casa do 2:01 e ficou apenas a 0.2 seg. da Q2, que era o grande objetivo. Mais uma prestação notável do piloto, que sem os 20 kg poderia ter chegado ao top 10 facilmente. Nas corridas, voltou a mostra-se a bom nível, na corrida 2 fez um excelente arranque (uma das suas especialidades) e conseguiu em ambas recuperar posições. Edgar Florindo esteve ao mais alto nível e provou que mesmo com apenas um ano nos TCR, com poucos Km rodados em comparação com a concorrência, com mais peso e com dificuldades físicas, tem andamento para se juntar aos melhores. Imagine-se em condições ideais. Florindo mostrou o seu talento e que qualidade para rodar com os melhores.

As prestações dos nossos pilotos devem ser enaltecidas. Não lutam com as mesmas armas, mas o talento que apresentaram em pista foi evidente. Mais que isso, a atitude e a postura que tiveram no fim de semana encheram de orgulho quem viu. Se no início havia algumas dúvidas… no final da festa ficaram as certezas. José Rodrigues e Edgar Florindo enfrentaram os melhores do mundo, lutaram muito e saíram com prestações excelentes. Parabéns a ambos.

Fábio Mendes/Autosport