No futuro, os carros autónomos vão ter que tomar decisões sozinhos em caso de emergência. Muitas desses decisões serão fáceis. Uma criança atravessa a rua a correr, e o carro irá travar sozinho. Mas e se o carro não tiver travões? Seguirá em frente, matando a criança, ou irá desviar-se para bater num muro, arriscando a vida do seu ocupante.

É para tentar resolver este tipo de problemas que o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusets, uma das mais reputadas universidades americanas) propôs um jogo online de dilemas morais, batizado Moral Machine. O jogador pode votar as suas escolhas, simplesmente explorar as opções, ou até construir os seus próprios cenários. Todos levam em conta que a perda de vida é inevitável, seja qual for a escolha.

Há muitos fatores a ter em conta, incluindo a escolha entre os ocupantes e transeuntes, a idade dos envolvidos, a situação legal dos peões (se estão a atravessar com sinal vermelho, por exemplo), o número de vítimas potenciais, a presença de animais, etc.

Apesar do potencial para dar a muitos jogadores a possibilidade de testarem a mobilidade de situações, muitos dos casos apresentados sem evitáveis. Uma vez que o cenário prevê a perda total da eficácia dos travões, seria mais simples o automóvel dispor de um programa de diagnóstico que é ativado sempre que o condutor entre no carro, impedindo-o de se colocar em marcha. E, no futuro, os carros autónomos iriam adequear a sua velocidade a condições de tráfego com muitos peões, reduzindo as hipóteses de fatalidade num acidente.

M. Francis Portela