Ferramenta online mostra o potencial de Portugal para a energia solar

Tendo em conta a necessidade incessante de reduzir o consumo de energia produzida com base em combustíveis fósseis, o Banco Mundial e a ISA (Solar International Alliance, ou Aliança Solar Internacional) uniram esforços para mostrar ao mundo as potencialidades de cada território para recorrer à nossa estrela como fonte de energia.

Para isso, as duas entidades criaram uma ferramenta online que permite identificar as melhores zonas do planeta para o uso de painéis fotovoltaicos para conversão em energia térmica ou elétrica. Essa ferramenta online gratuita é o Global Solar Atlas, de acesso aberto a toda o público. É possível fazer zoom, tal como no Google Maps, com o limite nos 1000 metros de altitude acima do solo.

A ideia é mostrar às autoridades e aos reguladores, mas também aos privados, como podem tirar partido da energia solar como fonte de energia renovável, cujos custos estão ligados unicamente à aquisição e manutenção de equipamento, e não da fonte de energia em si.

Como é natural, as zonas desérticas, com pouca precipitação, são as mais apropriadas para a coleta de energia solar, nomeadamente o Sahara, o Kalahari, o deserto australiano, a Ásia Central, a Baixa Califórnia, o Atacama e a Austrália. Em Portugal, o Algarve, o Alentejo interior e a Beira Baixa são os locais com mais potencial. Faro, por exemplo, pode produzir 1712 kWh de energia por ano e por pessoa. O consumo médio de energia per capita em Portugal é de 4523,3 kWh, pelo que seria possível providenciar, nalgumas regiões, cerca de um terço da energia elétrica só com base solar.