Tecnologia ecológica produz eletricidade e mata a salmonela ao mesmo tempo

Durante o Século XX, gerar energia para consumo em massa fazia mal à saúde. Era quase garantido que a única maneira fiável e eficiente de produzir energia para usar como eletricidade caseira necessitava de queimar carvão ou petróleo. E queimar combustíveis fósseis aumenta a quantidade de monóxido de carbono e dióxido de carbono, que em excesso são prejudiciais à saúde humana.

Mas agora uma maneira de produzir eletricidade que também faz bem à saúde. Especificamente, a célula de combustível microbial foi criada pela universe britânica UWE Bristol para aproveitar a excreções humanas, nomeadamente urina, para a produção de energia elétrica. Estas células de combustível utilizam bactérias que transformam essas excreções em matéria inorgânica, e o processo é transformado em energia utilizável. Mas, durante o desenvolvimento desta tecnologia, surgiu um efeito colateral benéfico.

As excreções humanas também incluem bactérias, muitas delas prejudiciais aos seres humanos, e o processo revelou ser bastante eficaz a destruir o bacilo conhecido como salmonela, causadora de febre tifóide, o que pode tornar este sistema muito interessante para países em vias de desenvolvimento, facilitando o acesso a energia ao mesmo tempo que contribui para a saúde pública.