BMW M5: 600 CV de músculo alemão

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

Muito esperado pela sua legião de adeptos, o novo BMW M5 acaba de ser revelado, apresentando como credenciais de topo o seu motor V8 de 600 CV, um sistema de tração integral e caixa automática M Steptronic DriveLogic. A intenção é assumir-se como a berlina de referência no segmento, tendo como principal rival o Mercedes-AMG E 63 S 4Matic+, este último com 612 CV.

Para quem tinha grandes expectativas quanto a este modelo, as mesmas não saíram goradas, com o novo M5 a dispor de capacidades que a marca garantem serem capazes de elevar a adrenalina para novos patamares durante a condução. Uma das suas maiores novidades está no modelo de tração, que passa a ser agora feita às quatro rodas através de um evoluído sistema M xDrive, que a BMW considera ser “o sistema de tração integral mais emotivo” no segmento das berlinas de luxo.

Uma afirmação arrojada que tem por base uma caixa de transferência central com embraiagem multidisco, sendo assim capaz de distribuir a potência entre os dois eixos em tempo real e em função das condições do piso e do estilo de condução. No eixo traseiro, pode-se ainda encontrar um Diferencial Ativo M que permite a este novo M5 disponibilizar uma diversidade de funções de entrega de potência, incluindo um modo que permite até o funcionamento enquanto modelo de tração traseira.

O condutor tem à sua disposição cinco configurações diferentes para escolher em combinações dos sistemas DSC (On, MDM e DSC Off) e modos de condução M xDrive (integral 4WD, 4WD Sport e 2WD, esta última a já referida de tração traseira). Na configuração básica com o Controlo Dinâmico de Estabilidade (DSC) ativo e o modo 4WD, o sistema permite um ligeiro escorregamento da traseira à saída das curvas, ajudando a obter uma sensação dinâmica, sendo nos modos mais desportivos que o seu carácter dinâmico vem ao de cima.

No campo dos superdesportivos

Tudo isso não faria sentido sem um motor à altura e a BMW recorreu ao blovo V8 bi-turbo de 4.4 litros com tecnologia M TwinPower Turbo, o qual foi amplamente revisto face à versão anterior. Por exemplo, conta com novos turbocompressores, arrefecimento a ar altamente eficiente e pressão de injeção de combustíval mais elevada. Estas evoluções permitem-lhe registar 600 CV no banco de potência, disponíveis entre as 5.600 e as 6.700 rpm, enquanto os 750 Nm de binário estão disponíveis logo a partir das 1.750 rpm, mantendo-se até às 5.600 rpm.

As prestações, essas, são de elevado gabarito, até porque a marca trabalhou afincadamente na redução do peso: a aceleração dos 0 aos 100 km/h cumpre-se em apenas 3,4 segundos, os 0 aos 200 km/h em meros 11,1 segundos. A velocidade máxima está limitada aos 250 km/h, mas com o opcional M Driver’s Package a mesma é elevada até aos 305 km/h. Valores que o colocam no terreno dos superdesportivos. A caixa de velocidades é automática de oito velocidades com afinação específica.

Visual de bom gosto

No lado estilístico, o M5 tem uma aparência mais robusta, desde logo pelas jantes de 19 polegadas com que surge de série, com acabamento Orbit Grey e pneus M específicos, mas estão disponíveis jantes de 20” e travões de carbocerâmica, material mais resistente à fadiga e, crucialmente, um conjunto que reduz o peso em 23 kg. De série, conta também com um sistema de travagem de alta performance com maxilas pintadas a azul.

Os para-choques são também mais agressivos, com maiores aberturas de ar para refrigeração, o mesmo se aplicando aos espelhos retrovisores, ao capot e ao tejadilho concebido em plástico reforçado com fibra de carbono (CFRP), na prática uma variação de carbono que permite a este novo M5 não ir além dos 1.855 kg, menos até do que o modelo que o precedeu. Atrás, destaque para o spoiler superior, difusor e sistema de escape desenvolvido para este modelo com quatro saídas.

No interior, destaque para o volante desportivo M, bancos em couro Merino e aplicações em alumínio que aportam consigo uma combinação de desportividade e requinte.

As encomendas para este novo ‘muscle-car’ alemão iniciam-se em setembro, com um preço base na Alemanha cifrado em 117.900 euros, mas para quem quiser um modelo ainda mais exclusivo está disponível uma edição especial apropriadamente denominada First Edition com pintura vermelha metalizada Frozen Dark, elementos em preto brilhante, jantes de 20” de baixo peso e novidades ao nível do interior com volante M multifunções, placa numerada identificativa e aplicações também em preto brilhante. O custo deste modelo especial supõe um aumento de 19.500 euros em relação à versão de base.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.