Firestone Roadhawk: Um pneu que é música para os ouvidos

Patrícia Pereira
Patrícia Pereira
Editora Social Media

O que têm pneus a ver com música? Tudo. Apostada numa estratégia de comunicação que a coloca mais perto dos jovens, a Firestone associa-se a alguns dos melhores festivais de música da Europa e acelera ao encontro de uma maior sensibilização para a importância dos pneus na condução.

Esta canção não é “hit”, resultado das leis do marketing e da comunicação atuais. A ligação da Firestone à música é bastante antiga. Em 1928, a Firestone Tire and Rubber Company chegou-se à frente com o patrocínio de um programa de rádio. Chamava-se The Firestone Hour e era transmitido na Rádio NBC. Mais tarde fez história ao tornar-se no primeiro programa a passar em simultâneo na rádio e televisão. Passou a intitular-se The Voice of Firestone e ficou no ar até 1963.

Foi a esposa de Harvey S. Firestone, fundador da empresa, música e compositora de nome Idabelle Firestone, a autora de várias das canções que preenchiam a grelha deste espaço de entretenimento. “If I could tell you”, entoada por Richard Crooks era uma delas, que neste caso servia o genérico da hora Firestone. E se ele pudesse entregaria ao objeto do seu amor um ramo de elogios ao sorriso, aos olhos azuis, devoto e capaz da entrega de um coração por inteiro. A linguagem dos sentimentos, ainda que modernos e mergulhados na complexidade dos relacionamentos contemporâneos, é também a inequívoca linha orientadora das melodias indie do trio britânico The XX, cabeça de cartaz de um dos dias do Primavera Sound, em Barcelona, o primeiro de uma série de sete festivais europeus que integram o Firestone Music Tour. A música está no adn da marca e estas ações não só garantem a continuidade da tradição como posicionam a Firestone junto de um público jovem. Foi a pensar nestas gerações, de condutores entenda-se, que foi desenvolvido o Roadhawk, o novo pneu que fomos a Barcelona pôr à prova.

Testing, testing

Uma road trip e três workshops serviram bem o propósito. Comprada pela Bridgestone em 1988. a Firestone desenvolveu nos últimos três anos e meio seis novos produtos. As várias gamas ajustam-se a todos os tipos de automóveis e condutores. No caso do Roadhawk, o foco esteve em criar um pneu com um desempenho mais duradouro e capaz de desafiar os restantes da mesma gama existentes no mercado, oferecendo uma capacidade superior tanto em aderência em piso seco como em travagem em molhado.

A faixa inicial da jornada fez-se saindo da cidade rumo a estradas de sinuosidade média num percurso com o Parcmotor Castellolí como destino. Uma vez no circuito,testámos em diferentes situações, primeiro com um automóvel com pneus Roadhawk e de seguida, com o mesmo modelo de viatura, com pneus de uma marca concorrente.

Tanto em piso molhado como em piso seco, a superioridade dos Roadhawk tornou-se óbvia, representando, no caso por exemplo do teste de travagem brusca, a uma velocidade superior a 100 km/h, até imobilização total do veículo, uma diferença de cerca de dois metros e convenhamos…dois metros é muito.

Comprovada ficou também a eficácia de performance em situação de aquaplanagem. O teste liderado pelo antigo piloto de Fórmula 1 Stefano Modena provou que a aderência dos Roadhawk é mais eficaz e permitiu manter a viatura controlada.

Acordes finais

Confesse, quando foi a última vez que prestou atenção ao estado de saúde dos pneus do seu carro? Se a sua segurança dentro do automóvel depende de muitas componentes, os pneus são certamente uma das mais importantes. A primeira coisa que fiz quando cheguei foi olhar para os do meu carro. A segunda, porque gosto pouco de hipocrisias, foi deitar as mãos à cabeça.

O que têm pneus a ver com música? Tudo. Não é o chiar certo de um pneu, controlado e fiável, música para os nossos ouvidos? Se o último acorde coincidir com o evitar de um acidente…olhe que sim.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.