A melhor época de sempre de Tiago Monteiro no WTCC

Tiago Monteiro chegou ao Qatar determinado em lutar até ao final pelo segundo lugar nas contas do WTCC, mas no início da primeira corrida, esse objetivo caiu logo por terra, depois de um incidente com um Pechito Lopez que obrigou ao abandono. Restava ao piloto português segurar o terceiro lugar da tabela, mas essa posição esteve em risco até à última volta da segunda corrida do fim-de-semana.

Sem nunca baixar os braços e lutando com o que tinha e não tinha, Tiago fez uma ultrapassagem excepcional a Yvan Muller quase a cruzar a linha de meta, para conseguir o número de pontos suficientes do quinto lugar, que lhe deu, pela primeira vez no WTCC, o terceiro lugar final nas contas do campeonato.

Na qualificação realizada, Tiago Monteiro conseguiu assegurar a sétima e quarta posições da grelha e estava otimista para as corridas mas as facilidades que o piloto português encontrou foram muito poucas: “A primeira volta é sempre importante em qualquer prova. Estávamos todos a lutar pela melhor posição possível. Levei e dei toques, mas o último embate do Lopez deixou-me fora de prova e com o carro muito danificado. Nessa altura cheguei a pensar que era impossível alinhar na segunda corrida, mas como sempre, a equipa fez um trabalho excepcional ao conseguir reparar o Honda Civic”, disse Tiago Monteiro que na grelha para a segunda prova só pensava em somar pontos suficientes para terminar o ano em terceiro.

Final heróico

O início do segundo confronto revelou-se mais uma vez duro com muitas lutas e sobretudo incertezas. Mas Tiago Monteiro nunca se deu por vencido lutando em pista com um carro longe da sua melhor performance: “A única hipótese seria arriscar. Arrisquei tudo, nem sempre correu pelo melhor, mas na última volta, era o tudo ou nada. E sem hesitações e com muita convicção consegui a ultrapassagem necessária para atingir um resultado que considero mais que justo. Foi um ano com alguns altos e baixos, mas estive quase sempre no segundo lugar da tabela, seria muito inglório, depois de todo o trabalho e esforço não conseguir esta posição”, continuou.

Termina assim, aquela que provavelmente foi a melhor época para Tiago: “Estou feliz por mim e pela equipa. Foi um longo ano de muito trabalho que tinha de terminar com algo bom. Só posso agradecer a todos pelo apoio e cá estaremos para o ano para procurar fazer melhor”, concluiu satisfeito Tiago Monteiro.