F1: Mercedes nega saída no final da próxima época

A Mercedes rejeitou a sugestão feita por Eddie Jordan que irá passar apenas a fornecedor de motores acabando com a sua própria equipa de F1 no final de 2018. Após o Grande Prémio do Mónaco Jordan avançou com tal hipótese, prontamente negada pelo responsável desportivo da marca de Estugarda.

“O Mónaco é um local onde as pessoas gostam de festejar e parece que alguém deu muita importância a certas coisas. Os rumores são completamente infundados e refletem nada mais do que especulação de um individuo”, reiterou Toto Wolff. “A Mercedes tem contratos sólidos para a sua participação na Fórmula 1 até ao final de 2020 – e atualmente está em negociações para o próximo ciclo competitivo com os novos responsáveis pelo desporto”, fez a ainda questão de salientar o diretor da equipa Campeã do Mundo.

A Mercedes participa de forma contínua na F1 desde 1994, quando regresso como fornecedor de motores à Sauber, mudando para a McLaren no ano seguinte, conseguindo grande sucesso com a equipa de Woking em 1998, 1999 e 2008. No final de 2009 adquiriu a Brawn GP e criou a sua própria equipa oficial. Desde 2014 tem dominado o campeonato, apesar de em 2017 conhecer um grande desafio por parte da Ferrari.