70 anos da Ferrari em destaque no Salão Motorclássico

No ano em que se celebram os 70 anos da Ferrari, a mítica marca italiana de automóveis estará em destaque na próxima edição do Motorclássico – Salão Internacional de Automóveis e Motociclos Clássicos, que decorre de 21 a 23 de Abril na FIL – Feira Internacional de Lisboa. Com a exposição temática “Ferrari 70 anos” a organização do Salão Motorclássico quis prestar homenagem à história e ao mito da marca fundada por Enzo Ferrari em 1947.

Entre os modelos selecionados para a exposição, que revisita alguns dos clássicos mais marcantes da Ferrari, destaque para um Ferrari 208 GTS dos anos setenta, um histórico Testarossa de 1984, um 550 Maranello de 1990, e ainda um Dino 246 GT, automóvel criado pelo filho do fundador, Dino Ferrari.

De Maranello para o mundo, a Ferrari impôs-se como uma das marcas mais icónicas e desejadas da história automóvel. A história começa em 1947, quando o primeiro Ferrari, o 125 S, atravessou os portões da fábrica em Maranello.

Os primeiros Ferrari eram carros de corrida, mas rapidamente as vitórias das cores e sons fortes começaram a criar o mito Ferrari. Como o desporto automóvel sempre foi dispendioso, Enzo Ferrari teve que começar a produzir automóveis de turismo, destinados a pessoas que, em troca de uma soma avultada, adquiriam, mais do que um meio de transporte, um objecto de culto, funcionando também como adereço de estatuto social.

No final da década de 50, após várias vitórias em provas de endurance e em Fórmula 1, o nome da Ferrari era já uma referência no automobilismo. A vitória no Grande Prémio de Inglaterra, em 1951, marcava o início de um percurso único, que faria da Scuderia Ferrari a equipa mais bem-sucedida da história da Fórmula 1. Entretanto, entre 1950 e 1960, as vendas da Ferrari mais do que triplicaram. Em 1970, a Ferrari iniciou a produção dos primeiros automóveis com motores V8 (rear-mounted) que se tornariam um enorme êxito comercial. Entre 2000 e 2010, a Ferrari reafirma a sua liderança na Fórmula 1, conquistando 13 títulos mundiais, que espalharam o “vermelho Ferrari” pelo mundo.

O programa da 13ª edição do Motorclássico inclui ainda a apresentação do recém-restaurado microcarro Messerschmitt KR200 (1958), “Messi”, a exposição temática “A Guarda Montada – Motos da Guarda Nacional Republicana”, os habituais passeios de clássicos, um emocionante leilão de automobilia, e a secção Art Village, que reúne obras de arte à volta do mundo dos clássicos.

O Salão Motorclássico é organizado pelo Museu do Caramulo em parceria com a AIP – Feiras Congressos e Eventos.

Para obter mais informações sobre o Salão Motorclássico aceda ao site oficial do evento em www.motorclassico.com.