O primeiro Alfa Romeo tem quase 100 anos mas ainda corre

Só em Goodwood é possível encontrar alguns dos exemplares mais raros da história automóvel. E só em Goodwood é possível ver esses mesmos automóveis de colecção a serem colocados em risco pelos seus proprietários, em provas de competição. É o caso deste Alfa Romeo, o único exemplar sobrevivente do primeiro automóvel construído pela marca. Era de se esperar que estivesse guardado e protegido no museu oficial da marca, mas em vez disso é usado nestas aventuras pelo seu proprietário, Tony Shooshani, um coleccionador de Beverly Hills.

O Alfa Romeo G1 foi o primeiro automóvel desenvolvido inteiramente pela marca, depois de Nicola Romeo ter adquirido a A.L.F.A., e era vendido em várias configurações, inclusive a limusine estendida, o mais utilitário “torpedo” e o desportivo “spider”.

Lançado em 1921, tinha um motor 6.3 de seis cilindros, que debitava 70 cv e lhe permitia atingir os 138 km/h, e destinava-se a concorrer directamente com os modelos da Rolls-Royce.

Mas foi um fracasso de vendas e a maior parte dos 52 exemplares acabaram por ser vendidos na Austrália, onde continuaram a ser usados em actividades que teriam deixado os vendedores da marca italiana perplexos. Este exemplar, por exemplo, viu a sua luxuosa carroçaria desaparecer, para poder ser usado como transporte de cangurus e para locomover uma bomba de água.

Apesar disso, conseguiu sobreviver quase um século, até ser restaurado ainda na Austrália, e colocado à disposição do Museu Enzo Ferrari, onde esteve alguns anos parado, em exposição.

Pelo caminho, quase ganhou um prémio no Concurso de Elegância de Pebble Beach. E mesmo depois de todas estas desventuras, ou talvez por causa delas, indicando tratar-se de um teimoso sobrevivente, ainda participa em corridas de automóveis.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.