Raro Bugatti leiloado por três milhões de euros

Um dos automóveis mais raros, e elegantes, do mundo foi vendido recentemente em leilão pelo valor de três milhões. O Bugatti Type 57, cuja variante mais conhecida é a Atalante, já é alvo de cobiça de muitos colecionadores, mas este exemplar em particular é um dos mais raros de todos, razão porque o seu preço final no leilão da RM Sotheby’s ultrapassou os três milhões de euros, com o seu novo dono a pagar €3.024.000 pelo que a Bugatti chamou um “faux-Cabriolet”.

Este exemplar tem o número de chassis 57254, comprovado pelo Certificado Francês de Matrícula, pelo que é o terceiro dos quatro protótipos construídos pela fábrica com a carroçaria original desenhada por Jean Bugatti e Joseph Walter. É também um dos três sobreviventes de 10 Type 57 construídos no primeiro ano, em 1935.

O seu primeiro dono foi Méo Constantini, director da fábrica da Bugatti em Molsheim, mas menos de um ano depois regressou à fábrica para melhoramentos ao motor, e foi vendido através de um intermediário a Louis Dubreuil, cuja família manteve o Bugatti na sua posse durante 62 anos, quase não saindo da garagem. Mesmo tendo mudado de dono em 1998, acumulou apenas 700 quilómetros no velocímetro nas últimas seis décadas, com o tacómetro a marcar menos de 26 mil.

A carroçaria continua original, tal como a maior parte dos revestimentos. O seu motor 3.3 de oito cilindros em linha e dupla árvore de cames é derivado da tecnologia de competição, que debitava 135 cv, mais do que suficientes para levar um automóvel que pesava menos de uma tonelada aos 153 km/h.

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.