Alemanha volta a acusar Fiat de fraude de emissões

O Ministério dos Transportes da Alemanha afirmou ter descoberto um segundo defeat device para enganar os testes de emissões num modelo da marca transalpina, neste caso o SUV 500X.

Sobe novamente de tom a disputa entre o Governo Alemão e a Fiat-Chrysler, após o executivo germânico voltar a acusar o grupo automóvel de utilizar dispositivos para enganar os testes de emissões nos modelos da Fiat. A informação tem origem no Ministério dos Transportes da Alemanha, que pela segunda vez coloca o consórcio italo-americano na sua mira, e estará relacionado com as investigações da autoridade rodoviária alemã, a KBA, iniciadas após o Dieselgate da Volkswagen.

Segundo indica a publicação germânica Der Spiegel, existe um software para desligar os sistemas de tratamento de gases do Fiat 500X após 90 minutos de utilização do SUV, o que reforça as suspeitas anteriores em que foi afirmado que um outro modelo tinha este mesmo procedimento mas após 22 minutos de utilização. Este registo temporário acaba por ser importante, pois o atual ciclo de testes implementado na Europa e realizado em laboratórios tem uma duração de 20 minutos. A Fiat-Chrysler já reagiu, referindo que não comenta documentos internos da KBA e reafirmando o total cumprimento das normas em vigor, além de recordar que o governo italiano já confirmou que os modelos estão em conformidade com as leis. No entanto, é preciso recordar que já em janeiro surgiram acusações de que o executivo transalpino poderia ter facilitado na execução dos testes de emissões aos modelos da Fiat e que os alemães não são os únicos a ponderar a hipótese de levar a tribunal a Fiat-Chrysler por valores fraudulentos de emissões, uma situação também em estudo pelos governos francês e dos Estados Unidos.

Fonte: Automotive News Europe