Maserati serão elétricos a partir de 2019

Depois de ter admitido o interesse do Grupo FIAT na Fórmula E, mediante os emblemas da Alfa Romeo ou da Maserati, Sergio Marchionne vem agora confirmar que todos os modelos do ‘Tridente’ serão elétricos a partir de 2019. A viragem para os elétricos faz parte de um ambicioso plano estratégico que o CEO da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) delineou para o Grupo, e que prevê que, nos próximos cinco anos, até 2022, metade da frota da FCA seja eletrificada (ou com modelos híbridos ou com modelos totalmente elétricos).

A revelação, noticiada pelo Autoblog norte-americano, surgiu no seguimento de uma conversa telefónica a propósito dos resultados comerciais do grupo. Nela, o dirigente italiano mostra a sua confiança em replicar o trabalho de desenvolvimento efetuado pela Tesla, que acaba de distribuir as primeiras unidades do Model 3, nos veículos elétricos. E confirma que a Maserati será a primeira marca do Grupo a operacionalizar uma viragem há muito anunciada, mas em que até aqui Marchionne tinha resistido concretizar.

“Nada irá impedir um OEM [fabricante original de equipamento] de iniciar ou replicar o que a Tesla tem feito até este momento. Temos sido relutantes em abraçar este modelo até visualizarmos um claro caminho em frente [no que ao mercado e às soluções tecnológicas dizem respeito]. Mas estamos agora em posição de reconhecer que pelo menos uma das nossas marcas — e a Maserati, em particular, irá mudar todo o seu portefólio rumo à eletrificação quando o desenvolvimentos dos seus próximos dois modelos estiver concluído”.

Esta decisão não deixa de ser surpreendente, tendo em conta que Marchionne chegou a dizer “espero que não o comprem” a respeito do Fiat 500e, porque a empresa perdia dinheiro com ele. Para o italiano, “penso que o que tornou esta questão absolutamente vital foi o esmorecimento do Diesel e o facto de a inclusão de algum tipo de eletrificação em motores de combustão interna ser inevitável, principalmente na Europa”.

Leia também:

Maserati protege Veneza com um Quattroporte GTS Granlusso

A transição irá, pelo menos a curto prazo, ter implicações nos preços dos automóveis da FCA, mesmo com a diminuição do custo das baterias: “Penso que ainda irá haver um enorme aumento dos preços em 2021, 2022. Se a eletrificação disseminar-se como todos esperam tem que haver uma mudança no preço dos automóveis”.

Afastada está a hipótese da FCA produzir as suas próprias baterias: “Dado o nível e profundidade de conhecimento existente noutras empresas da indústria, que direito temos de entrar nesse espaço? Nenhum”.

Os primeiros dois modelos “plug-in” da Maserati serão, ao que tudo indica, um Alfieri totalmente elétrico, com lançamento esperado em 2020, e o SUV Levante, que deverá incluir a tecnologia híbrida atualmente existente no Chrysler Pacifica Hybrid — o único modelo da FCA presentemente à venda com estas características.

Leia também:

Os 10 vídeos mais vistos da Maserati na internet