Nos últimos anos, os construtores de automóveis adotaram a prática do “recall” à medida que iam descobrindo problemas nos seus carros, que podem afetar a segurança dos mesmos. Estes problemas costumam afetar uma quantidade significativa de veículos produzidos numa determinada série. E embora as marcas tenham-se acostumado a fazer estas medidas para resolver problemas e cumprir responsabilidade com clientes, são também um desperdício de recursos que gostavam de poder evitar.

O ideal para as marcas era encontrar defeitos de fabrico quando os seus novos carros ainda estão na fábrica, antes de ser distribuídos para os concessionários em redor do mundo. Por isso, a Mercedes estabeleceu uma parceria entre a sua divisão de segurança de veículos com várias outras entidades, incluindo a Fraunhofer EMI (uma unidade de pesquisa na Alemanha especializada em materiais), com o objetivo de utilizar a tecnologia raio X para detetar problemas nas peças vitais para a segurança em caso de colisão.

Esta tecnologia de raio X vai criar imagens de grande qualidade de áreas específicas num crash-test. Assim vai ser possível olhar para o interior de componentes de segurança e registar o seu comportamento em colisão, aplicando esses dados em simulações de segurança por computador, de modo a prevenir incidentes e melhorar a segurança passiva, ainda antes de realizar qualquer teste de colisão no mundo real.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.