A falta de tempo e a consequente necessidade de estar em mais do que um local ao mesmo tempo obrigam muitas pessoas a fazer quase todos os movimentos das suas vidas dentro de um carro. Isto tem consequências em termos de saúde pública, com a falta de movimento a resultar numa quebra da forma física da população em geral. As autoridades não têm estatísticas exatas sobre esta tendência, mas agora têm uma solução rápida para recolher estes dados: o Google Street View.

Aproveitando que as imagens capturadas pelo Google Street View estão visíveis publicamente, um grupo de investigadores da Universidade de Cambridge analisou os padrões de tráfego de 2000 fotografias em 34 cidades britânicas e comparou-os com os dados dos Censos 2011. Dividindo as pessoas em sete categorias de utilizadores das estradas e ruas, a equipa de investigação notou quatro modos básicos de movimentação humana, de transporte público, a bicicleta, moto ou carro, sempre combinado com circulação a pé.

Os investigadores da Universidade de Carmbridge ficaram satisfeitos com os resultados, podendo prever com exatidão como o público em geral se desloca dentro das cidades, de um modo mais eficiente que a simples recolha de estatísticas. Com estes dados, as autoridades poderão agora tomar medidas para encorajar deslocação ativa, em que as pessoas fazem alguma espécie de exercício físico (caminhando ou deslocando-se em bicicleta), em vez de utilizar deslocação passiva, dentro de um automóvel pessoal ou em transporte público.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, seria possível prevenir 3,2 milhões de mortes por ano, causadas pela falta de atividade física das populações, com a falta de forma física a resultar em doenças que seriam fáceis de evitar.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.