O crescimento da procura por automóveis elétricos vai fazer aumentar a extração mineira de lítio e disparar o preço deste metal. Mas agora existe uma alternativa que não só vai facilitar a obtenção de lítio para a produção de baterias elétricas, como também vai ajudar a levar água potável a populações vulneráveis a longos períodos de seca. Para isso, foi desenvolvido um novo processo de dessalinização com base em estruturas metalorgânicas.

Este tipo de compostos de metal ionizados é usado para causar reações químicas, como a decomposição de moléculas, servindo como filtros para certos elementos. Neste caso, podem servir para tornar membranas celulares muito mais eficientes no processo de dessalinização de água salgada, consumindo apenas um terço da energia usada normalmente.

Melhor ainda, usando as estruturas metalorgânicas não só separam os sais da água, gerando água doce, como também podem reter iões metálicos. Desta forma, é possível reaproveitar lítio presente na natureza de uma forma mais barata, além de reduzir consideravelmente o impacto ambiental, pois não só evita a extração mineira, como o processo também pode ser aplicado em tratamento de águas.

Este processo de dessalinização foi descrito num número da revista científica Science Advances, envolvendo investigadores da Universidade Monash, em Melbourne, na Austrália, do instituto CSIRO, também na Austrália, mas em Canberra, e da Universidade do Texas, em Austin, nos Estados Unidos.