Mercado europeu em 2017: Menos carros Diesel na grande moda dos SUV

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

A indústria automóvel europeia teve um ano de 2017 de consolidação em termos de mercado, com um total de 15.57 milhões de veículos matriculados no Velho Continente, mas acentuou-se uma tendência de afastamento em relação ao Diesel, com as matrículas associadas a este combustível a caírem 7,9% no ano passado (para ainda assim expressivos 6.76 milhões de veículos vendidos).

De acordo com os mais recentes dados da JATO Dynamics, os modelos com motor Diesel representaram 43,7% do mercado total, o que é o valor mais baixo para o segmento na última década, já contando com os anos da crise europeia. Pelo lado contrário, os carros com motor a gasolina revelaram um aumento de 760.000 matrículas, beneficiando da retração da aposta dos consumidores nos Diesel.

Em termos totais a indústria vendeu um total de 15.57 milhões de automóveis em 2017, um aumento de 3,1% em comparação com 2016 e, de forma significativa, o melhor valor em termos de registos desde o ano de 2007, quando se matricularam 16.02 milhões de unidades.

Estes resultados mais fortes do mercado europeu podem ser atribuídos em grande parte à continuação da recuperação das economias no Sul e Leste da Europa, embora os resultados referentes ao Reino Unido continuem a ser apontados como preocupantes pela JATO. De acordo com aquela entidade, apesar dos resultados encorajadores, as questões levantadas pela indústria, incluindo o Brexit e a temática dos Diesel, levaram a que o crescimento global não fosse além dos 3,1%, uma redução dos valores mais significativos dos dois anos anteriores – em 2016 havia sido de 6,5% e em 2015 de 9,3%.

De forma curiosa, em dezembro registou-se o pior mês em termos de registos em cinco anos, sendo que o número de Diesel caiu expressivos 20,5% no último mês de 2017.
Quanto aos outros meios de propulsão – sejam híbridos, elétricos ou plug-in híbridos -, registaram-se 737.400 unidades em 2017, significando um total de 4,8% do mercado global e um aumento de volume na ordem dos 46,1% face ao ano anterior.

SUV em ascensão continuada

A grande maioria do crescimento de mercado verificada em 2017 teve como grande responsabilidade, uma vez mais, o segmento dos SUV, que bateu o recorde com 4.56 milhões de registos no ano passado (em 2016 tinham sido de 3,81 milhões de unidades), com um aumento do segmento de 19,5% em 2017. Assim, a quota de mercado dos SUV subiu de 25,2% de 2016 para os 29,3% de 2017, contrastando de forma vincada com os escassos 8,5% do agora longínquo ano de 2007.

O crescimento foi beneficiado pela forte aposta em tendências de mercado dentro dos próprios segmentos SUV, com os D-SUV, C-SUV e B-SUV a aumentarem de forma considerável no ano passado: 34%, 21% e 17.5%, respetivamente, conforme aponta Felipe Munoz, Analista Global Automóvel da JATO Dynamics, apontando ainda que o segmento que mais perdeu com essa subida dos SUV foi o dos monovolumes (MPV), que atingiu o “seu valor mais baixo do século”.